PR1 VLC

VARANDAS DA FELGUEIRA (link)

in: folheto do Município de Vale de Cambra

Terra de belos recantos, a aldeia da Felgueira, localizada na freguesia de Arões, respira a natureza verde da Serra da Freita e as águas límpidas e azuis do Rio Cabrum.

Quem chega pode passear por caminhos de pedras gastas e percursos antigos, onde as habitações de granito, cobertas de lousa, contam a história de uma vida intensamente rural.

A actividade agrícola, muita dela desenvolvida em socalcos, confere um colorido único à paisagem. Anualmente realizam-se na aldeia duas importantes festas religiosas: a Festa de São Tiago e a de Nossa Senhora da Liberação.

Ao nível da gastronomia destacam-se dois pratos tradicionais: a vitela arouquesa e o cabrito da Gralheira, que podem ser degustados no restaurante da aldeia, o Mira Freita.

Aproveite para visitar o posto de exposição e venda de artesanato ali próximo.

PR2 VLC

À N. SRA DA SAÚDE POR CAMINHOS DE ANTIGAMENTE (link)

in: folheto do Município de Vale de Cambra

No alto de Castelões, na Serra de Gestoso, a Sra. Da Saúde de "vinte e quatro janelas" guia os aflitos, é confidente de desabafos, desgostos e causas prementes. O Santuário, erguido em sua honra, é ladeado por um Parque Natural, povoado por frondosos carvalhos e sobreiros, que servem de sombra às longas merendas ali realizadas na altura da romaria de 15 de Agosto.

A história da Sra. da Saúde foi construída como os percursos que nos levam até ao altar mor da capela: de forma ascendente, ao longo de caminhos, por vezes sinuosos, trilhados por romeiros que, em pequenos ou grandes grupos, faziam-se chegar ao Santuário nas décadas de 30, 40 e 50 da forma que mais encurtasse a distância.

O percurso que aqui apresentamos, pretende dignificar as rusgas de antigamente, sendo um caminho sem trânsito automóvel e que deseja homenagear quem por ele passou, passa e continuará a passar, para pagar promessas à Sra. da Saúde.

A Estrada Velha, tal como é denominada, foi construída por volta do ano de 1924, com o intuito de melhorar o acesso dos romeiros ao Santuário, entre Cartim e o alto da Serra. Façamos desta caminhada uma romaria. Por caminhos de antigamente aprendamos, nos tempos modernos, como chegar à Sra da Saúde "no alto de Castelões".

O percurso pedestre PR2 "À N. Sra da Saúde por caminhos de antigamente", inicia-se junto à Igreja Matriz de S. Pedro de Castelões e pretende refazer o antigo caminho de romaria para o Santuário de Nossa Senhora da Saúde.

PR3 VLC

NA VEREDA DO PASTOR (link)

in: folheto do Município de Vale de Cambra

A aldeia da Lomba é uma das mais belas aldeias de Portugal, estando empoleirada num promontório, e terminando numa pequena península onde se acotovelam uma igreja, um cemitério, várias casas e mais de 15 canastros.

Esta configuração particular, que resultou de três falhas, enquadram a aldeia nos três lados da península. Os caminhos que daqui saem vão para as aldeias abandonadas das Porqueiras, a 1 km, e das Berlengas, a 2 km.

Contudo, para lá chegar, percorra o percurso "Na Vereda do Pastor" que se inicia na aldeia de Côvo, a mais alta do concelho de Vale de Cambra, localizada na encosta Sul da Serra da Freita. Do fundo do lugar, irá seguir em direcção a Agualva por um caminho estreito, encaixado entre as últimas casas. Este trajecto começa a alargar-se em direção a Sudeste, primeiro descendo e depois subindo suavemente.

Chegado ao cabeço começa-se a descer até ao poste de alta tensão, tomando de seguida um carreiro antigo que leva a um caminho florestal frondoso e à Ribeira das Estacas. Aqui irá atravessarse um interessante pontão de pedra, após o que se toma um agradável caminho lageado, que leva até ao lugar de Agualva. Era por este caminho que a população chegava à Serra, muito especialmente ao Côvo, para levar as "vacas ao boi", tradição que caiu quase em desuso.

Segue-se depois disso, rumo à aldeia da Lomba, pelo caminho da escola e da missa. Aqui é imperdível a passagem pelo núcleo de espigueiros e a Capela da Nossa Senhora dos Milagres bem como as Porqueiras, uma aldeia remota localizada no fundo do Vale da Ribeira de Agualva, e onde pode também apreciar a cascata.

PR4 VLC

TREBILHADOURO (link)

in: folheto do Município de Vale de Cambra

Da aldeia de Trebilhadouro, vamos percorrer as encostas da Serra da Freita e caminhar por entre a paisagem ribeirinha, junto à Barragem Engº Duarte Pacheco, no rio Caima.

Nas encostas da Serra da Freita domina o verde dos pinheiros e eucaliptos e, junto às ribeiras, os socalcos que dividem pequenos terrenos agrícolas. Não será difícil observar espécies como o picapau, o gavião, bandos de perdizes, ou a borboleta acobreada-da-montanha.

Ao chegar junto do rio Caima, espera-o um pequeno paraíso na margem esquerda da albufeira: a Levada de Santa Cruz desenvolve-se entre florestas frondosas, propícias ao crescimento de fetos e fungos e que são o habitat perfeito para o Lagarto-de-água, a rã ibérica ou a lontra. A aldeia de Trebilhadouro, detentora do título de "Aldeia de Portugal", esteve desabitada durante décadas, tendo sido recuperada para turismo rural. Está perfeitamente integrada na paisagem envolvente e mantém a traça da casa rural portuguesa em pedra granítica, material que se estende aos caminhos. Diz a tradição que o nome deriva de um tesouro, formado por "três bilhas de ouro".

A cerca de 1km da aldeia, num afloramento granítico ao lado de um pequeno riacho, localizam-se as gravuras de Trebilhadouro. Os motivos gravados incluem espirais, covinhas, linhas e armas (provavelmente um machado de pedra).

Em Rôge destaca-se o complexo religioso constituído pela Igreja de S. Salvador e pelo Cruzeiro, classificado Monumento Nacional, desde 1949. Ambos os monumentos apresentam traços do estilo barroco, tendo sido edificados em meados do século XVIII. O cruzeiro terá sido derrubado pelo temporal ciclónico de 1945, e restaurado em 1947.

PR5

ALDEIAS DO ARESTAL (link)

in: folheto do Município de Vale de Cambra

Situada a sul de Vale de Cambra, a Serra do Arestal apresenta uma altitude máxima de 830 metros, estendendo-se também ao concelho vizinho de Sever do Vouga. Nesta serra, resistem importantes vestígios megalíticos e avistam-se paisagens deslumbrantes que incluem o litoral, de Espinho até à serra da Boa Viagem, e o interior montanhoso, da serra de Montemuro até à serra da Estrela. Faz parte do Maciço da Gralheira, juntamente com a Serra da Arada, São Macário e Freita.

Este percurso tem assim, início em Gestoso, no Santuário da Senhora da Saúde, dando ligação ao PR2 "À Senhora da Saúde, por caminhos do antigamente".

Depois de percorrer o Parque florestal, nas traseiras do Santuário, o percurso dirige-se em direcção da Capela de S. Tiago, no topo da Serra. Nesta cumeada encontram-se os concelhos de Vale de Cambra e Sever do Vouga, sendo este um local de culto e convívio para ambas as populações. A área envolvente à capela está dotada de um Parque de Lazer com mesas de piquenique. O PR5 leva-o ainda às aldeias de Folhense, Agros e Cabanes. Na paisagem que apresenta também, fortes traços de ruralidade, é possível caminhar entre hortas domésticas e pequenas aldeias que salpicam a paisagem.

Em 2001 foi concluído o projecto de criação de um Parque de Merendas e de Lazer na área envolvente da capela, pelas Juntas de Freguesia de Junqueira, Dornelas e Rocas do Vouga. De acordo com o Inventário Preliminar dos Monumentos Megalíticos da Serra do Arestal, existem na área onde este percurso se desenvolve várias Mamoas (cerca de nove monumentos), no entanto não poderão ser visitadas devido ao seu avançado estado de degradação que inviabiliza a sua visita e interpretação.

PR6

PARADUÇA (link)

in: folheto do Município de Vale de Cambra

Paraduça é uma pequena aldeia da freguesia de Arões, concelho de Vale de Cambra, situada entre as Serras da Arada e do Arestal, no cimo de um monte onde corre a Oeste a Ribeira de Paraduça e a Nordeste a Ribeira de Agualva. Ambas as Ribeiras confluem com o Rio Teixeira que corre a Leste da aldeia.

Os vales encaixados e a impressionante biodiversidade destes cursos de água em contraste com os desníveis do maciço montanhoso criam um cenário de excelência, no qual se destacam alguns recantos como a cascata do Poço do Linho, localizada à entrada da aldeia, na Ribeira de Paraduça; as margens do Vale da Ribeira de Agualva, que alberga uma das mais belas florestas da região, ou os vários Poços do Rio Teixeira, considerado um dos rios mais bem preservados da Europa. Para visitar estes locais consulte mais informações no site da Rota da Água e da Pedra (www.rota-ap.pt). Em 2004 foram recuperados 5 dos moinhos que serviam a aldeia de Paraduça (o Moinho do Cabo, o das Bouças, o da Cavada, o do Burmeiral e o do Castelo). Todos eles são alimentados pela mesma levada de água, com origem na Ribeira de Paraduça, localizando-se a Noroeste da Aldeia, em área agrícola.

Quando foram recuperados, pela Associação de Desenvolvimento Turístico e Cultural da aldeia, os moinhos estavam, na sua grande maioria abandonados e em acelerado estado de degradação. Atualmente quatro desses moinhos encontram-se em funcionamento, sendo regularmente utilizados pela população, e um quinto moinho foi exteriormente recuperado, no entanto não possui sistema de moagem.

PR7

CANAIS DE REGA DE BURGÃES (link)

in: folheto do Município de Vale de Cambra

Com início na Praia Fluvial de Burgães, os primeiros metros deste percurso acompanham o rio Caima para montante, até subir a Malhô e apanhar a entrada no canal de rega n.º1. A partir deste ponto o percurso assume um traçado circular, desenvolvendo-se em terreno plano no sentido dos ponteiros do relógio. Usados para regar os campos no vale de Cambra, estes canais captavam a água do rio Caima junto ao Açude Moreira, transportando-a ao longo de vários quilometros!

Após 2 km neste impressionante canal de rega (n.º1), o percurso sai para a rotunda das regadas, sobe a Av. Dr. António Fonseca e entra no canal de rega n.º 2, desenvolvendo-se a uma cota ligeiramente superior ao canal anterior. Ao fim de 2,5 km neste engenhoso trilho, o percurso desce novamente ao canal n.º 1 para rapidamente regressar a Malhô e percorrer o caminho de regresso à Praia Fluvial.

Os Canais de Rega de Burgães com cerca de 3 km a montante da Praia Fluvial de Burgães localizase o fontanário de Santa Cruz, que aproveitando as águas de um pequeno afluente do rio Caima, teve outrora um papel importante para o abastecimento da população local. Entre este fontanário e a Barragem Eng. Duarte Pacheco (Rôge), localiza-se o Açude Moreira, também conhecido como Barragem de Padrastos. A construção do açude Moreira, com 7 m de altura e 16 m de coroamento permitiu a regularização do caudal do rio Caima e a captação de água para abastecimento domiciliário de Vale de Cambra.